CUTELARIA | As facas de Leo Moraes

Meu buenas, leitores do “As Boas Coisas da Vida”!!
Vamos embarcar noutra Conversa Afiada?

Já andamos pela Feliz, por Tapes, e agora vamos mais ao Sul do mundo. Sirva uma boa taça de vinho, cerveja artesanal, espumante ou ceve um mate e vamos rumo à Princesa do Sul, onde mora nosso herói da vez.

Sim, viver da cutelaria artesanal em tempos de tanta modernidade é um enorme desafio. Mas a tradição milenar da cutelaria segue muito viva aqui no Rio Grande do Sul e no Brasil de modo geral. A cada evento, mais artistas surgem e arrebatam prêmios nas mais variadas categorias, elevando o nível dessa nobre arte e agregando preço às peças apresentadas, em termos de arte, materiais nobres, funcionalidades e esmero por parte de seus criadores.

Convido-os a conhecer o trabalho do querido amigo e “ermão” Leo Moraes. Dono de um dos olhares mais serenos que vi na vida, esse moço apareceu no cenário afiado do RS faz alguns anos, numa “martelança”, nome dado aos workshops onde reunimos artistas para troca de conhecimento e ideias sobre cutelaria, forja, usinagem e acabamento de lâminas, bainhas e cabos.

Em meio a tantos amigos do meio, de repente surge nosso amigo, pilchado, mala de garupa às costas, tímido como um menino, chamando a todos de “senhor”, foi chegando devagarinho e a todos conquistando com seu jeito amigo, humilde e sincero.

Sua primeira peça foi forjada de modo autodidata em 2006 e de lá pra cá tornou-se um dos grandes nomes do cenário afiado nacional. Fechou sua agropecuária, e o Sul do Mundo ganhou mais um cuteleiro profissional!

Aos poucos, uniu-se ao grupo, à Associaçao Gaúcha de Cutelaria. Seu trabalho foi crescendo, evoluindo. O aço carbono foi sendo dominado, e suas peças passaram a ser disputadas. Em dado momento, surgiu a oportunidade esperada por tantos cuteleiros: Leo foi convidado para participar do Salão Paulista de Cutelaria, o evento mais disputado do circuito brasileiro, que ocorre em novembro. E a seguir participou da Feira Gaúcha da Faca, realizado em dezembro em Porto Alegre.

Sempre “limpando a banca”, Leo tem suas peças arrematadas em qualquer evento nacional, e clientes trazem seus projetos e fazem novas encomendas. Até a querida apresentadora Ana Maria Braga apaixonou-se pela arte deste gaúcho.

E depois do aço carbono, veio o momento de fazer aço damasco, a grande demonstração de habilidade do cuteleiro. E neste upgrade, novos clientes vieram em busca do trabalho deste grande artista.

Premiado em Sorocaba em 2013 e 2014 por Melhor Faca Gaúcha e Melhor Damasco, e este ano em São Paulo com a melhor faca na categoria Chef, recebe agora nossa modesta homenagem.

Conheça o trabalho deste grande amigo e tremendo profissional na sua página no Facebook e no seu email: leomoraesmk2@pop.com.br !

E lembre: guarde suas facas em aço carbono ou damasco fora da bainha. A bainha serve para transporte da faca. Após o uso, lave, seque bem e guarde em local seco. Evite o lado verde da esponja de cozinha por ser muito abrasivo.

Um grande abraço a até a próxima aventura!

  • Leo Moraes

Gostou? Deixe um comentário: