CUTELARIA | Um artista do aço

Amigos do As Boas Coisas da Vida, nossa caminhada pelo pequeno mundo afiado artesanal brasileiro continua, com seus personagens e artistas, suas histórias, facas e…bem, vamos embarcar? Estes artistas tão especiais nos encantam, com sua arte, sua capacidade de superar-se a cada trabalho e inovar sem perder a identidade.

Leia também:
CUTELARIA | O menino que forjava pregos
FACAS | Um artista da cutelaria artesanal
CUTELARIA | A história das facas D’Avila
CUTELARIA | As facas de Leo Moraes

Hoje, o convite é para andar pelas Missões, na bela Panambi, reduto de colonização alemã no Estado, pois de lá vem nosso artista da vez, o querido Marco Borchardt.

Marco foi escoteiro, teve uma infância de fazer inveja, subiu em árvore, colheu frutas do pé, andou descalço e teve o gosto pelas facas despertado cedo, vendo o seu primeiro professor, o ferreiro Oto Pot forjando facas, pás e todo tipo de ferramentas, firme na bigorna, de marreta em punho, sem nunca usar as ferramentas de cutelaria de hoje, como martelete, prensa hidráulica, etc.

E assim nosso artista foi crescendo e formou-se eletrotécnico, prestando serviços a empresas que buscavam certificação e qualidade total em suas áreas. Nesse meio tempo começou a forjas suas facas de modo autodidata. A participação em feiras e eventos da área o fez nutrir o desejo de viver das facas, de melhorar a cada passo, cada lamina, cada bainha!

O conhecimento com o damasco o encantou e logo as primeiras nesta aço apareceram. E com elas a certeza de que era preciso aprimorar seu trabalho, a técnica, e montar uma oficina à altura de seus objetivos.

E em 2013 foi de modo humilde, qualidade que só os grandes possuem, buscar auxilio profissional. Uma semana de curso com o cuteleiro que arrebatou mais prêmios nos últimos quatro anos Brasil afora, Ronaldo Franceschi de Vila Cristina, perto de Marau. Uma semana de ensinamentos, puxões de orelha, e um novo cuteleiro surgiu!

Um perfeccionista, dominando técnicas complexas, estilos diversos, como as integrais gaúchas forjadas, as chefs, bowies, camps e hunters, entre outros. Suas peças tem público atento a cada lançamento. O uso de materiais cada vez mais nobres e peças cheias de elegância, charme, leveza e funcionalidade o caracteriza e credencia com um dos craques no meio afiado.

O uso de aços como o velho e bom carbono e o nobre damasco, sempre à perfeição, as bainhas meticulosas, o critério de pesar suas peças e a grande aceitação do público lhe deram a certeza na hora da opção.

Seguir como cuteleiro part time ou assumir de vez o desafio afiado? Marco não vacilou e disse SIM à cutelaria e, todo dia coloca o avental e acende a forja, afinal a esposa Eliane Alles Borchardt logo dará à luz ao primeiro herdeiro do casal.

Peças deste artista são a certeza de um grande investimento! Seus trabalhos podem ser vistos no seu blog e no facebook .

Lembrando sempre: peças em aço carbono e damasco devem ser usadas (muito) e, após o uso, lavadas com o lado macio da esponja, secas com pano limpo e guardadas fora da bainha, se possivel com uma fina camada de óleo mineral.

Um abraço e até o a próxima viagem afiada!

Gostou? Deixe um comentário: