EXPOSIÇÃO | As belezas da mostra “Bento e o Céu”

Essa foto conta uma história de uma hora. Foram 143 fotografias com duração de 25 segundos cada para criá-la.

O trabalho pretende despertar a atenção de moradores e visitantes para as belezas de Bento Gonçalves, tendo como símbolos principais a cidade, o céu e suas nuances

“Durante nossas vidas, quantas vezes deixamos de ver o espetáculo que nos é apresentado todos os dias?”, instiga o fotógrafo Dandy Marchetti da Rosa, autor das imagens que integram a exposição Bento e o Céu, que tem lançamento nesta sexta-feira, 18 de setembro, em Bento Gonçalves. Serão apresentadas ao público 20 imagens de lugares conhecidos de Bento Gonçalves, com nuances diferenciadas, fazendo uso do céu como elemento para realçar os cenários registrados. “Presos em nossa rotina, cheia de afazeres, perdemos muitos momentos que a natureza nos proporciona. Com a exposição Bento e o Céu, oferecemos ao público a oportunidade de recuperar uma parcela desses momentos, graças ao registro fotográfico”, convida Michel Marchetti da Rosa, que concebeu com o irmão a ideia de estimular a população de Bento Gonçalves a ter um olhar mais atento sobre as singularidades e belezas de cenários do município que fazem parte de seu cotidiano.

Ponte Rio das Antas: Essa  foto deu origem ao projeto Bento e o Céu. Postada no facebook, causou grande identificação ao público, obtendo mais de 600 compartilhamentos e motivando vários comentários de pessoas que viveram nas redondezas ou passaram por essa ponte

Ponte Rio das Antas: Essa foto deu origem ao projeto Bento e o Céu. Postada no Facebook, causou grande identificação ao público, obtendo mais de 600 compartilhamentos e motivando vários comentários de pessoas que viveram nas redondezas ou passaram por essa ponte

Da ponte de Rio das Antas à igreja Santo Antônio, passado por vista da Vila dos Eucaliptos, que contrasta com cenário turístico ao fundo, as imagens foram registradas com a técnica HDR (High Dynamic Range), que permite a utilização em uma mesma fotografia de diferentes exposições de luz, ressaltando a coloração e fazendo com que se assemelhem a telas artísticas. As imagens, a propósito estarão impressas em telas, em tamanhos que variam de 70cm a 1,10m de altura e 1,10m a 1,70m de largura, remetendo a pinturas feitas à mão. Outro recurso utilizado na captura das imagens foi o Timelapse, uma técnica de fotografia para vídeo, que irá permitir a projeção das fotografias em movimento, em telões e até mesmo nas paredes no entorno dos ambiente em que serão expostas, proporcionando uma experiência de interatividade do público com as imagens. (Saiba mais em Técnica Utilizada).

”Umas das paisagem mais bonitas da nossa cidade. Brinco que parece Copacabana, só faltaria o mar! Mas em vez do mar, temos parreiras, história! Há quem passe frequentemente por esse lugar e sinta-se incomodado com o visual. Comenta-se que chegou a ser cogitada na cidade anos atrás a construção de um muro para os turistas não verem o local. Nós destacamos o quanto é belo este cenário com suas nuances”, destaca Dandy.

”Umas das paisagem mais bonitas da nossa cidade. Brinco que parece Copacabana, só faltaria o mar! Mas em vez do mar, temos parreiras, história! Há quem passe frequentemente por esse lugar e sinta-se incomodado com o visual. Comenta-se que chegou a ser cogitada na cidade anos atrás a construção de um muro para os turistas não verem o local. Nós destacamos o quanto é belo este cenário com suas nuances”, destaca Dandy.

Os autores do projeto esperam que, ao adquirirem essa conotação artística, os cenários tão comuns aos moradores, proporcionem a eles uma nova percepção e um sentimento de valorização da identidade local. “Trabalhamos para que as pessoas sintam-se impactadas com as imagens de modo a expressarem com orgulho ‘essa é minha cidade'”, mencionam.

O lançamento da exposição, que terá visitação gratuita, é na sexta-feira, 18 de setembro, às 19h, na Fundação Casa das Artes (Rua Erny Hugo Dreher, 127, Avenida Planalto). As imagens permanecem neste espaço até 8 de outubro.  A exposição terá caráter itinerante, sendo que entre 10 e 20 de outubro, as imagens poderão ser conferidas no Shopping L’América (Rua Treze de Maio, 877, Bairro São Bento) e, entre 1º e 15 de novembro será a vez da Via Del Vino, no centro da cidade, receber a exposição. Após, entre 1º de dezembro de 2015 e 1º de abril de 2016, as imagens ficarão expostas na Alba Arte, sede de trabalho dos autores (Gomes Carneiro, 171, Centro Bento Gonçalves).

O Projeto Fotográfico “Bento e o Céu” foi produzido e está sendo executado com o patrocínio da Prefeitura de Bento Gonçalves, através do Fundo Municipal de Cultura e apoio do Conselho Municipal de Politicas Culturais.

O projeto pode ser acompanhado em www.bentoeoceu.com. Mais informações pelo telefone (54) 3702-6729.

Tempestade: Na foto está estampado um minuto e meio de tempestade. Quase dez raios por minuto. Tão fortes que iluminavam o céu.

Tempestade: Na foto está estampado um minuto e meio de tempestade. Quase dez raios por minuto. Tão fortes que iluminavam o céu.

Técnica Utilizada

Recursos propiciam interatividade

Para a captação das fotografias foi utilizada a técnica HDR (High Dynamic Range) que consiste em métodos utilizados em fotografia para alargar o alcance dinâmico, ou seja, poder capturar desde os pontos de luz mais claros até os mais escuros, e utilizá-los em uma mesma fotografia. Além disso, essa técnica ressalta a coloração da imagem, fazendo com que ela se assemelhe a uma tela pintada, por exemplo. O que é fascinante, principalmente para se registrar paisagens, sendo que, aliada ao olhar artístico do fotógrafo, essa técnica e seu tratamento de pós-produção, pode valorizar ainda mais a imagem.

Timelapse é uma técnica de fotografia para vídeo. Inicialmente, várias fotografias são capturadas de forma independente e com intervalos de tempo fixos entre um quadro e outro.  Estes intervalos podem durar alguns segundos ou minutos, dependendo do efeito que se deseja gerar. Após capturar as fotografias, elas são convertidas em frames para o vídeo. São organizadas numa sequência, que exibirá 24 ou 30 frames por segundo. A velocidade da reprodução é que gera o efeito de aceleração, criando uma ruptura temporal que representa a passagem de tempo em um curto período, como o pôr do sol em alguns segundos. Quanto maior o número de fotografias e o tempo entre um clique e outro, maior será o tamanho da sequência e sua duração.

Fotos: Dandy Marchetti da Rosa.

  • Tempestade: Na foto está estampado um minuto e meio de tempestade. Quase dez raios por minuto. Tão fortes que iluminavam o céu.
  • Ponte Rio das Antas: Essa  foto deu origem ao projeto Bento e o Céu. Postada no facebook, causou grande identificação ao público, obtendo mais de 600 compartilhamentos e motivando vários comentários de pessoas que viveram nas redondezas ou passaram por essa ponte
  • Foram três tentativas para conseguir captá-la. O arco-íris permanece apenas alguns minutos no céu, então, toda vez que estava chovendo e o céu começava a abrir, o fotógrafo estava preparado para correr em busca dele.
  • ”Umas das paisagem mais bonitas da nossa cidade. Brinco que parece Copacabana, só faltaria o mar! Mas em vez do mar, temos parreiras, história! Há quem passe frequentemente por esse lugar e sinta-se incomodado com o visual. Comenta-se que chegou a ser cogitada na cidade anos atrás a construção de um muro para os turistas não verem o local. Nós destacamos o quanto é belo este cenário com suas nuances”, destaca Dandy.
  • Essa foto conta uma história de uma hora. Foram 143 fotografias com duração de 25 segundos cada para criá-la.

Gostou? Deixe um comentário: