GASTRÔ | Comida peruana para harmonizar com os vinhos da melhor vinícola do Novo Mundo

@2016_PH_Lenara Petenuzzo-6811

Que tal harmonizar temperos peruanos com o terroir do Chile? A brincadeira foi comandada pelo enólogo da Vinícola Santa Carolina, Julio Perez, e o gerente da Importadora Porto a Porto, Rodrigo Albernaz, num jantar para clientes e jornalistas. O encontro no restaurante peruano Muju Restobar, em Porto Alegre, misturou a delicadeza dos ingredientes vindos direto do Peru com a explosão de aromas e sabores das uvas produzidas no Chile.

Santa Carolina
São 140 anos de história e o recente título de melhor vinícola do Novo Mundo pela influente revista norte-americana Wine Enthusiast.

Costuma-se chamar de Velho Mundo os países que são o coração da viticultura ao longo de mais de 7 mil anos, como França, Itália e Espanha; já Novo Mundo é a expressão que abrange vinhos pioneiros do hemisfério sul e da América do Norte.
Julio Perez, enólogo da Vinícola Santa Carolina.

Julio Perez, enólogo da Vinícola Santa Carolina.

Para começar uma pegadinha: somos recebidos com um vinho branco, às cegas. O vinho era muito refrescante, com aromas e sabores delicados e agradáveis. Antes de passarmos para o jantar, a revelação: o vinho servido era um reservado, rótulo de entrada da vinícola. “Decidimos servir este vinho para provar que é possível fazer rótulos bons e baratos e acima de tudo, precisamos perder o preconceito com alguns vinhos”, explicou Albernaz.

Santa Carolina Reservado Chardonnay 2015. Preço médio: 25 reais.

Santa Carolina Reservado Chardonnay 2015. Preço médio: 30 reais.

O ceviche clássico

O ceviche clássico

De entrada, o chef do Muju, Carlos Paredes, nos serviu um bom e clássico Ceviche. Esse prato está na minha lista dos mais saborosos, já escrevi aqui no site 😉 . Para harmonizar: Santa Carolina Reserva Sauvignon Blanc 2015, Vale de Leyda. Fresco, leve e com aromas cítricos.

Santa Carolina Reserva Sauvignon Blanc 2015. Preço médio: 60 reais.

Santa Carolina Reserva Sauvignon Blanc 2015. Preço médio: 60 reais.

Como se uma entrada não fosse suficiente, ainda teve Rolito de lomo saltado. Eu poderia comer com as mãos, como não vi ninguém fazendo, fui de talheres mesmo. Para harmonizar o vinho orgânico da Santa Carolina, o potente e delicioso Ekun Reserva (preço médio: 85 reais).

O prato principal.

Lomo limeño, prato principal.

Para acompanhar o prato principal, lomo limeño, dois vinhos: Specialties Cool Mountain Field Blend 2013, Vale de Curico (preço médio: 120 reais) – o meu favorito da noite – e o rótulo Reserva de Família Cabernet Sauvignon 2012, Vale do Maipo (preço médio: 150 reais). Dois grandes vinhos, de muita personalidade e feitos com muito cuidado e dedicação pela vinícola. O primeiro vinho é comemorativo aos 140 anos da Santa Carolina. Mistura vinhas antigas da família, muitas variedades que os enólogos nem sabem quais são. Um rótulo cheio de história e que retrata a personalidade das vinhas chilenas.

Meu escolhido!

Meu escolhido!

De sobremesa teve o delicioso suspiro limeño com um Santa Carolina Late Harvest Sauvignon Blanc 2011, Vale do Raphel (preço médio: 110 reais).

IMG_8604[1]

Santa Carolina

chile_santa_carolina

A Santa Carolina foi fundada por Don Luis Pereyra Catapos em 1875, que batizou a vinícola em homenagem a sua esposa, Carolina Iñiguez. Hoje a Santa Carolina, propriedade da família Larraín, é uma das vinícolas mais importantes do Chile. Em suas instalações, no centro da cidade de Santiago, destacam-se a casa colonial e a cave subterrânea, declarada Monumento Nacional em 1973, construída pelo arquiteto francês Emile Doyère, em 1877. O Brasil é o segundo maior mercado de exportação da Santa Carolina.

 Importadora Porto a Porto
www.portoaporto.com.br
www.facebook.com/portoaporto
http://twitter.com/portoaporto
http://instagram.com/portoaporto

Fotos: Lenara Petenuzzo

Gostou? Deixe um comentário: