GASTRÔ | Jamón ibérico de Bellota safrado chega ao Brasil

Caminhada pelos parreirais

Esta semana participamos de um almoço muito especial, aqui em Porto Alegre. A família espanhola Llores apresentou, à imprensa, chefs e donos de restaurantes, o jámon ibérico de Bellota Josep Lloresn 2010. O produto premium passa a ser vendido agora também no Brasil. O jámon com 60 meses de maturação é produzido em Huelvas, na Andaluzia, uma das cinco áreas de denominação de origem desse presunto, o mais nobre da Espanha.

O mestre jamonero, com 35 anos de experiência, Josep Ramon Llorens, mostrou como se tira a gordura e prepara o presunto para o corte. Antes, ele apresentou duas facas. Uma menor, para polir e fazer cortes auxiliares, e outra de lâmina estreita, longa e flexível para fazer o corte do presunto.

O jámon ibérico de Bellota tem uma produção anual limitada, determinada pelas condições climáticas e quantidade de Bellotas (espécie de castanha de encina, uma árvore da família do sobrero, que dá a cortiça) disponíveis no campo. Consequentemente, casa safra é unica, com aromas e sabores exclusivos, marcando cada peça como edição limitada. É possível sentir, na boca e no nariz, o cheio de castanhas no presunto. É impressionante a maciez da carne e a suavidade da gordura.

Foto: Vini Dalla Rosa

Foto: Vini Dalla Rosa

A elaboração do presunto premium tem um lento e meticuloso envelhecimento em escuras caves, onde as peças permanecem, em temperatura controlada, por até 60 meses de curação.

No Brasil, o quilo do jámon ibérico de Bellota será vendido, em média, a 600 reais. A peça, com até 10 quilos, pode custar cerca de 6 mil reais. O presunto é importado pela Casa Flora e Porto a Porto Importadora.

Assista ao vídeo com Josep Ramon Llorens Martínez, diretor comercial da Josep Llorens:

  • Caminhada pelos parreirais
  • foto Vini Dalla Rosa
  • foto Vini Dalla Rosa
  • Josep Ramon Llorens Martínez, foto Vini Dalla Rosa

Gostou? Deixe um comentário: