NEWS | Guatambu Estância do Vinho encerra 2014 com aumento de 74% no faturamento

A Guatambu Estância do Vinho encerra 2014 comemorando o aumento de 74% no faturamento, em relação às vendas de 2013. A vinícola de Dom Pedrito, RS, teve nos meses de novembro e dezembro um crescimento recorde na venda de espumantes em 97% mais, comparado com os mesmo período do ano anterior. Esse ano, mais de 8000 visitantes estiveram na sede enoturística do empreendimento, que foi inaugurado em junho de 2013.

O ano foi marcado pelo lançamento de novos produtos, como a linha de brancos Luar do Pampa e o novo rótulo Angus, e o prêmio de Melhor Tinto Nacional do TOP TEN da ExpoVinis 2014 para o Rastros do Pampa Tannat. O evento é um dos mais importantes do setor vitivinícola mundial e que apresenta as tendências e lançamentos do segmento. Em 2015, a Guatambu lançará durante a feira o Épico, um vinho ícone da vinícola, resultado da seleção das melhores parcelas do vinhedo durante quatro safras das uvas tannat, cabernet sauvignon, merlot e tempranillo.

Os rótulos Rastros do Pampa Pinot Noir e o Espumante Angus também estão na lista de novos produtos para 2015. Entre janeiro e março a vinícola abre as portas ao público para a segunda edição da Vindima aberta a visitantes, com programação especial incluindo visita às instalações da vinícola, degustação dos rótulos produzidos, almoço com parrilla e colheita de uvas na Estância Leões. Os eventos promovidos em 2014 mobilizaram visitantes do Brasil e Uruguai.

O reconhecimento da vinícola se firmou em 2014 em outros Estados, em especial no Rio de Janeiro, onde integra a carta de bebidas dos restaurantes Mee e Cipriani, do Copacabana Palace. Em São Paulo, o público encontra dois vinhos da Guatambu no Restaurante Kaá.

*Prêmios*

Em abril, o vinho Rastros do Pampa Cabernet Sauvignon 2012 e o espumante Guatambu Brut Rosé receberam medalha de prata no VII Concurso Internacional de Vinhos do Brasil. No mesmo mês, o Tannat foi o destaque entre os tintos brasileiros na ExpoVinis 2014.

Em novembro, o Rosé e o Rastros do Pampa Merlot receberam prêmios na 18ª edição do Concurso Internacional de Vinhos e Licores La Mujer Elige, em Mendoza, na Argentina. O evento tem uma característica especial: apenas mulheres participam do júri. Quarenta e quatro degustadoras, entre elas enólogas, sommeliers, jornalistas e críticas do segmento, avaliaram 505 amostras e premiaram rótulos de 18 países. O espumante recebeu medalha de Ouro Duplo e o tinto medalha de Ouro.

*Sustentabilidade é a meta*

Até 2016 a vinícola pretende produzir 100% das uvas de forma ecológica. A Guatambu implementou em 2014 um projeto-piloto com uma técnica sustentável e ecológica no controle de doenças fúngicas, com a utilização de micro-organismos que combatem naturalmente os fungos sem o uso de químicos.

A energia solar deve suprir 100% a energia da vinícola, através da ampliação da central geradora fotovoltaica já existente no local.  Atualmente, 18 painéis fornecem energia para as instalações. Nos próximos meses 510 placas solares serão instaladas. Além de economia de energia  elétrica, o sistema registra a economia na emissão de CO2 e devolverá à rede de energia a produção sobressalente que não for utilizada. “Nosso consumo no pico é de 20 mil quilowatts por mês. Com a instalação do sistema fotovoltaico, vamos garantir uma economia financeira e de energia”, conta o diretor-proprietário Valter José Pötter. “Nossa trajetória empresarial sempre foi norteada pela inovação e sustentabilidade econômica, social e ambiental dos empreendimentos. No caso da vinícola não poderia ser diferente”, afirma.

A sustentabilidade também é encontrada no fornecimento de água do local. Reservatórios foram construídos para captar água da chuva, que é utilizada para PPCI e irrigação dos jardins. Outra parte segue para estação de tratamento, construída dentro dos padrões da Organização Mundial da Saúde, produzindo 500 litros de água potável por hora, que é utilizada para no complexo industrial e enoturístico.

*Origem*

A origem do empreendimento vitivinícola foi há onze anos, quando foram implantados os primeiros vinhedos, visando diversificar as atividades da Estância Guatambu, do médico veterinário Valter José Pötter. Na época, sua filha Gabriela, formada em Agronomia, motivou a família a fazer um projeto piloto com uvas Cabernet Sauvignon e Chardonnay para aproveitar o excelente clima da região da Campanha (com verões mais secos, com alta insolação, topografia levemente ondulada, inverno adequado para dormência da videira e alta amplitude térmica), extremamente favorável à atividade. Estas  características favorecem a produção de uvas com maturação fenólica, taninos maduros, complexidade aromática e gosto aveludado. Com o apoio dos pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho, foi elaborado o primeiro vinho Cabernet Sauvignon da Guatambu em escala industrial em 2008, chamado Rastros do Pampa. A estreia no mercado foi um sucesso de comercialização e arrebatou prêmios internacionais, fato que impulsionou os proprietários a investirem solidamente no ramo.

*Produção atual*

Atualmente são 23 hectares de área plantada, com uma produção 14 rótulos de tintos, brancos e espumantes, de 150 toneladas de uvas processadas, sendo que 55% das frutas colhidas é destinada à produção de espumantes e 45% de vinhos. Os vinhedos estão localizados na latitude 30º58’ sul – a mesma de países como Argentina, Chile, África do Sul e Austrália, referências na produção de vinhos. A vinícola investiu na produção das uvas Cabernet Sauvignon, Tannat, Tempranillo, Merlot, Pinot Noir, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Gewürztraminer. A produção de vinhos é assinada pela Eng. Agrônoma e enóloga Gabriela Hermann Pötter, juntamente com os enólogos uruguaios Alejandro Cardozo e Javier Gonzalez Michelena. “Nossos vinhos e espumantes são elegantes, frutados e macios”, comenta Gabriela.

Gostou? Deixe um comentário: