NEWS | Primeiros vinhos da Indicação Geográfica Monte Belo chegam ao mercado  

Vinícola Calza, Monte Belo do Sul

           Sete rótulos serão apresentados no dia 3 de junho, integrando a programação do Dia do Vinho 2016

Os primeiros vinhos da Indicação Geográfica (IG) Monte Belo chegam ao mercado no embalo da programação do Dia do Vinho 2016. Sete rótulos de vinícolas que integram a Associação dos Vitivinicultores da região de Monte Belo do Sul (Aprobelo) serão apresentados na tarde do dia 3 de junho, no Il Divino Café, no Centro de Monte Belo do Sul. Os interessados em degustar e conhecer os vinhos recém lançados poderão visitar a tradicional Feira Colonial, nos dias 3 e 4 de junho no salão paroquial do município ou nas vinícolas produtoras.

Os primeiros vinhos certificados com a chancela concedida pelo Instituto de Propriedade Industrial (INPI) que chegam ao mercado são quatro vinhos tintos, das variedades Merlot e Tannat, dois vinhos brancos, Riesling e Chardonnay, e um espumante elaborado pelo método tradicional, no corte exclusivo da IG Monte Belo (Riesling Itálico, Pinot Noir e Chardonnay). Neste primeiro evento de lançamento, voltado para imprensa e convidados, os vinhos são das vinícolas Calza, Faé e Fantin.

Com aproximadamente 2,7 mil habitantes, Monte Belo do Sul tem a maior produção de uvas finas per capita de toda a América Latina, com 16 toneladas ao ano, em média. Agora, além de ser reconhecida pela excelente qualidade da matéria-prima,  que era vendida para elaborar vinhos de alta qualidade na Serra Gaúcha, a região busca ampliar seu espaço no mercado, com vinhos finos de qualidade, elaborados por vinícolas familiares, de pequeno porte, na própria região.

“Estamos trabalhando desde 2004 para termos os vinhos de Monte Belo certificados com a Indicação Geográfica. Foi um longo caminho que percorremos para qualificar a nossa produção, e é gratificante chegar nesse momento de apresentar nosso produtos para os consumidores”, destaca Roque Faé, diretor do Conselho Regulador da IG Monte Belo e proprietário da Vinhos Faé.

Todos os produtos foram elaborados seguindo os padrões de qualidade exclusivos desta região, controlados pelo Conselho Regulador da IG Monte Belo. Dentre eles, pode-se destacar que 100% das uvas foram produzidas na origem da área geográfica delimitada, com controle de produtividade e com padrões de maturação diferenciados. Os vinhos passaram por análises laboratoriais e sensoriais que atendem a padrões diferenciais para os vinhos desta origem.

Além do importante engajamento dos integrantes da Aprobelo, Faé reconhece o trabalho conjunto das entidades parceiras, como: Embrapa Uva e Vinho, Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Universidade de Caxias do Sul (UCS) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que auxiliaram nesta conquista, orientando no desenvolvimento das potencialidades vitivinícolas da região. Atualmente a Aprobelo reúne 11 vinícolas, das quais três já produzem vinhos dentro das normas estabelecidas na Indicação Geográfica.
Saiba mais sobre a IG de Monte Belo

– A área delimitada da IG Região de Monte Belo tem um total de 56,09 km², estando 80% no município de Monte Belo do Sul e o restante nos municípios de Bento Gonçalves e Santa Tereza.

– São mais de 600 propriedades vitícolas na área delimitada formando um verdadeiro mosaico de vinhedos que ocupam 37% da área, com alta concentração de uvas viníferas de qualidade. A área delimitada possui no seu entorno um cinturão verde, formado por matas onde a declividade é acentuada. A região está diretamente exposta ao Vale do Rio das Antas, com altitude média de 485 metros (altitude mínima de 349 metros e máxima de 659 metros).

– O projeto técnico-científico de desenvolvimento da IG foi iniciado em 2004, envolvendo diversas instituições, com a coordenação da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves.

100% das uvas utilizada na elaboração dos vinhos devem ser produzidas na área geográfica delimitada.

– Os vinhedos precisam ter controle de qualidade, a maturação das uvas para vinificação precisa ter padrões diferenciados e os vinhos devem ser elaborados apenas com as variedades autorizadas e com os padrões exclusivos da região.

– Os vinhedos de Monte Belo do Sul são todos georreferenciados, garantindo o rastreamento dos produtos.

Um pouco mais sobre as vinícolas que irão lançar os vinhos

A Vinhos Casa Fantin Ltda foi fundada em junho de 2001. Inicialmente eram três sócios, e a produção era somente de vinhos comuns. Eram vendidos sangrias, coquetéis e vinho em garrafão.

No ano de 2007, houve a dissolução da sociedade, ficando Aristides Fantin como atual proprietário. Com a uva produzida nos vinhedos próprios, a vinícola passou a elaborar vinhos finos e coloniais.  A empresa é familiar e sua produção é limitada, não sendo em grande escala. Os vinhos e espumantes elaborados são vendidos na sede da vinícola e em diferentes pontos do estado a partir de contato com a equipe de vendas.

Fundada em 1995, a Vinícola Calza começou vendendo sua produção de vinhos a granel. A partir de 2000, com melhorias na estrutura, lançou a marca Calza de vinhos finos, com uma produção limitada de 5,8 mil garrafas. A partir de 2004, com base na esplêndida qualidade das uvas brancas produzidas em Monte Belo do Sul, foi elaborado o primeiro espumante, formando assim a sua linha de vinhos finos e espumantes. Atualmente a empresa comercializa cerca de 40 mil garrafas de vinhos finos e espumantes por ano. A empresa foi fundada e é administrada única e exclusivamente pela família, sendo o enólogo responsável Antoninho Calza.

A Vinhos Faé Ltda foi fundada em 1985 e instalada dentro da propriedade adquirida por Ângelo Faé, imigrante italiano que chegou ao Brasil por volta de 1883, vindo de Bassalghelle, Oderso, Região de Treviso, Itália, que se instalou no lote 33 da Linha Alcântara. Desde a sua fundação, seu proprietário, Roque Faé, buscou aliar tradição,  técnica e paixão. Desde 2005, elabora vinhos e espumantes finos, com uma produção limitada a pequenas quantidades, cerca de 2 mil garrafas das variedades Merlot, Cabernet Sauvignon, Riesling Itálico, espumante moscatel e espumante brut pelo processo charmat.

 

Gostou? Deixe um comentário: