VINHOS | Vinho ajuda a prevenir a aterosclerose

vinho

Mais um motivo para os enófilos apreciarem o vinho sem culpa e ainda aproveitarem seus benefícios

Se ainda faltavam motivos para você se render ao vinho, saiba que, além de tudo, ele ainda faz bem à saúde! Para o médico nutrólogo e diretor da Associação Brasileira de Nutrologia, Dr. Nelson Iucif Jr., um dos principais efeitos é a prevenção da aterosclerose, doença caracterizada pelo acúmulo de placas de gordura no interior das artérias, que pode levar a um infarto ou acidente vascular cerebral. “O consumo indicado é de duas taças por dia para os homens e de uma taça para as mulheres“, recomenda.

A bebida atua em prol de vários sistemas do organismo, com destaque para o cardiovascular. “O vinho possui maior concentração de resveratrol do que a própria fruta, um potente antioxidante que traz diversos benefícios“, explica. Durante o processo de produção, as características da fruta são modificadas, transformando-a em outra substância, com perda de algumas propriedades e ganho de outras. “Ao vinho acrescenta-se a ação do álcool que, para quem aprecia, tem efeito relaxante e, em doses moderadas, sem contra indicação, pode fazer bem à saúde“, afirma.

Fruta também interfere no peso

Com alto poder antioxidante, a uva deve fazer parte de uma dieta balanceada. De uma maneira geral, ela possui carboidratos como fonte energética, mas não é particularmente rica em vitaminas e minerais. “Tem um teor razoável de potássio, além de cálcio, fósforo e magnésio. Também possui razoável conteúdo de vitamina C, além de vitamina K e A“, afirma o Dr. Iucif Jr.

Além disso, o médico nutrólogo faz um alerta em relação ao valor calórico. “É aconselhável que toda refeição tenha uma fruta como sobremesa e a uva é uma opção. Mas vale lembrar que ela deve ser consumida moderadamente, já que apresenta um alto valor calórico, que, junto a outros hábitos inadequados, pode induzir à obesidade“, reforça o médico nutrólogo.

Sobre a ABRAN

A ABRAN é uma entidade médica científica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina. Fundada em 1973, dedica-se ao estudo de nutrientes dos alimentos, decisivos na prevenção, no diagnóstico e no tratamento da maior parte das doenças que afetam o ser humano, a maior parte de origem nutricional. Reúne mais de 4.200 médicos nutrólogos associados, que atuam no desenvolvimento e atualização científica em prol do bem estar nutricional, físico, social e mental da população.

Gostou? Deixe um comentário: