TASTING | Envelhecendo com dignidade

Ao contrário do que imagina o senso comum, a grande maioria dos vinhos não envelhece bem. Nem mesmo os tintos. Mas, quando evoluem positivamente, tornam-se diferenciados. É claro que, por isso mesmo, vinhos mais antigos exigem uma abordagem apropriada. Sabendo entendê-los, será sempre um prazer degustá-los. Este Reginato Merlot 2003, de Monte Belo do Sul, na Serra Gaúcha, já está com mais de dez anos de garrafa e se mantém em boa forma: límpido, brilhante, com bordas levemente atijoladas, apresenta aromas terciários de couro e tabaco, boa acidez e final de boca levemente balsâmico. Mais um exemplo de que também os vinhos brasileiros, quando bem elaborados, podem resistir com dignidade e altivez à passagem do tempo

Gostou? Deixe um comentário: