VIAGENS | NYC em três dias

(fotos: Manu Loeser)

Há quem duvide, mas três dias em New York City podem render mais que uma semana em qualquer outro lugar. Não acredita? Vem comigo!

A proposta é válida para quem tem poucos dias – feriado, fim de semana prolongado ou está só de passagem. Claro que esse roteiro não se propõe a fazer uma visita completa na cidade, mas traz boas dicas para sair do óbvio, especialmente para que já esteve alguma vez na cidade que nunca dorme.

#1 Plan
A grande sacada é aproveitar voos noturnos para chegar lá de manhã cedinho. E o dia de ir embora curtir todo também. Além disso, vamos combinar, Nova York é uma das diárias mais caras do mundo, seja em hotel, hostel ou apartamento de aluguel. Se quiser ficar em Manhattan (o que faz toda a diferença num roteiro enxuto), vale cada dia a menos, ou melhor, cada noite a menos de diária.

#2 Weather
Esse roteiro não depende de clima, mas óbvio que será facilitado se tiver sem chuva.

#3 To share
Compartilhar esse tipo de viagem só funciona se as pessoas estão na mesma pegada. Então, caso esteja com família inteira, bebê pequeno, idosos ou amigos com maior dificuldade de locomoção, ou outro ritmo, acrescente alguns planos “B” no caminho.

#4 Transfer
A chegada na cidade por metrô é a forma mais certeira: custa menos de 1/3 do táxi e é relativamente rápido. Além de que o subway de NYC já te coloca no clima antes mesmo de subir as escadinhas e se deparar com os arranha céus. O aplicativo MTA facilita muito, pois te dá opção de ver as linhas de acordo com o local de partida (se colocar JFK, por exemplo, ele puxa até mesmo o terminal da sua empresa aérea) e o destino (endereço, de preferência em Manhattan, não teima 😉 ).

#5 First day

  • High Line
  • Chelsea
  • Chelsea Market
  • West Village
  • One World Trade Centre Observatory
  • Tribeca

Pode-se fazer tudo a pé. Aquele canto charmoso de Manhattan que não para de bombar. Seja nas feiras e mercados incríveis, restaurantes e cafés fofos… O High Line – parque suspenso onde antigamente passavam trens (os trilhos seguem lá) – em si é uma delícia e muda o visual a cada época do ano. (Amo no verão e no outono, tem umas partes com fontes de água para molhar os pés!) Ele termina no The Whitney Museum, com uma super vista de New Jersey e da região de Wall Street (vale mais a vista que o acervo).

O parque suspenso High Line (foto: internet)

O parque suspenso High Line (foto: internet)

A passada pelo Chelsea Market e Chelsea Wine Vault são imperdíveis. Aproveite para almoçar por lá. Amo o Pastifício Rana (massas to go super baratas). Mas, para os amantes de frutos do mar, tem o The Lobster Place  – lagostas, caranguejos e sushis fazem a festa da galera, que come no meio da peixaria. Não perca Fat Wich Bakery, o melhor brownie da vida! Faça o estoque! Caso saia de casa tarde e pule o Chelsea Market, no West Village tem o Virgin Oil, com um egg benedict delicioso. Passadinha básica no Magnolia Bakery, com seus cupcakes, pode ser uma também. E tem o Pastis, no Chelsea, delícia!

Chelsea Market (foto: Manu Loeser)

Chelsea Market (foto: Manu Loeser)

Para chegar no One World Trade Centre Observatory pode se ruma caminhadinha puxada. Mas, se tiver animado, vale ir pela beira do Hudson. Não esqueça de checar os dias e horários de funcionamento – e não se assuste com o preço da entrada! Vale muito a pena, é um show de tecnologia e não tem tempo limite para ficar lá em cima no observatorium. Vá e aprecie. Se for final do dia, veja as luzes se ascendendo. Mágico!

One World Trade Centre Observatory (foto: Manu Loeser)

One World Trade Centre Observatory (foto: Manu Loeser)

Caso queira voltar ao Chelsea à noite (e, se eu fosse você, iria querer), anota aí:

  • The Biergarten: salsichas bock, chopp gelado, gente para todo lado e sinuca rolando noite a dentro. Bem Blumenau em outubro 😉
  • The Standard Grill: restaurante do hotel The Standard. Delicioso e mais sofisticado, com mesas no jardim. Lindo!
  • Le Bain: rooftop do hotel The Standard, tipo lounge.
  • TAO Downtown: bar animado, cheio de celebrities!
  • Marquee NYC: balada forte.
  • Sleep no more: peça off Broadway. Experiência louca! Vale a pena.

#6 Second day

  • Williamsburg
  • Brooklyn Bridge
  • Manhattan Bridge
  • 5th Avenue
  • Central Park

Se for sábado ou domingo perfeito! Nesses dias, Williamsburg (bairro do distrito de Brooklyn) se transforma com o agito das feiras ao ar livre. Mas comece atravessando a Ponte do Brooklyn, ou a Brooklyn Bridge, a pé. A luz da manhã é perfeita para as trilhões de fotos que você vai tirar. Pode-se atravessar a pé ou dar uma enganada, se tiver preguiça, e fazer o trajeto de bike, táxi aquático ou metrô. Eu recomendo caminhando, o astral é super legal – embora sábados e domingos seja bem cheio!

Feliz da vida, atravessando a ponte do Brooklyn!

Feliz da vida, atravessando a ponte do Brooklyn!

Após chegar no Brooklyn, siga caminhando em direção à Manhattan Bridge, quando verá aquelas ruas com vista para a ponte ao fundo. O Carrossel fica exatamente entre as duas pontes e ali rendem fotos incríveis também, afinal, Manhattan estará a sua frente.

Chegando no Dumbo (espécie de mini porto/praça/pier), pegue o barco em direção a Williamsburg. Ao desembarcar, vá até o Flea Market, que fica na beira do Hudson. O lugar é um agito. Cheiros e comidas de todos os tipos, desde choripan, macarrão thay, hambúrgueres veggie, pão de macarrão, costelinha de porco, cervejas artesanais, batatas fritas, churros... Food truck para todos os gostos! Não subestime outros mercadinhos de bairro que você tombará pelo caminho. Sempre encontrará coisas incríveis e algumas referências de moda, música e arte.

Volte apreciando o passeio de barco ou de metrô. Desça na 5th Avenue e se sinta milionário andando pela calçada mais chique de NYC. Ali tem Gap, Nike e Apple, lojas que quase todo Brasileiro que vai aos EUA frequenta. No ladinho tem o MOMA e, se for sexta-feira, após às 17, entre, pois é de graça (um dos melhores museus de NYC na minha opinião). Ali também tem a loja de souvenirs mais cool de NYC. Caso dê tempo, coma um hambúrger na Five Guys ali na frente – é o mais sujinho delicioso dos EUA. De volta à 5Av, siga até o Central Park e se perca!

(fotos: Manu Loeser)

(fotos: Manu Loeser)

Ps1: Se estiver na vibe de museus, o MET e Natural History ficam nas duas laterias do Central Park. Tente administrar seu tempo, pois são enormes e só vale a correria se estiver muito focado em determinadas obras ou exposições.
Ps2: Confira programação. Pode estar havendo cinema ao ar livre, shows ou concertos pelo Parque. Vale demais.
Ps3: À noite, se tiver pique, pode ir direto para a sessão das 20h na Broadway. Livre escolha, as peças são todas lindas. Jante no Carmines depois, só para lembrar que está em NYC.

#6 Last day

Suponho que você vá embora neste dia à noite, bem tarde. Vale deixar as malas prontas ao sair pela manhã. Tome um super café da manhã ou vá ao Bryant Park fazer um piquenique ali mesmo. Depois pode optar: Public Library, Grand Central… mas não deixe de passar no Rockfeller Center, se der, top of the rock. Com isso, você encerra o roteiro de melhores vistas por ora (Empire State tem muita fila e ,na minha opinião, foi superado pelo OWTC Observatorium). Além disso, se quiser passe na Macys ou na Saks 5th Avenue (depende do tamanho do seu bolso) para não dizer que não foi às compras.

E, como o dia será corrido, sugiro um almoço mais tarde num lugar imperdível: Joit Burguer, fica dentro do Marriot Marquis, sim, vai se surpreender com o esquema dos caras. É o melhor burger de NYC, num ambiente inusitado, rock & roll mesmo. Se ainda der tempo, concerto no Carnegie Hall, ali do lado do Joint, muito bom. Caso queira inverter e topar um hamburgão após a música clássica, tá valendo também. Afinal, estamos em NYC, baby!

hamburguer

 

* Manu Loeser mora em São Paulo, é advogada, apaixonada pelo Antonio (filho, de 2 anos), pelo Jack (um Golden) e louca por viagens, escapadas de fim de semana e boa comida.

 

Gostou? Deixe um comentário: