VINHOS | A paixão de Galvão Bueno por vinhos

Galvão Bueno teve o privilégio de rodar o mundo nos últimos 40 anos trabalhando com eventos esportivos. Foram essas viagens que lhe permitiram conhecer e se relacionar com diferentes culturas, costumes e sabores. Foi em países como Portugal, Espanha, França e Itália que Galvão teve contato mais intenso com a cultura dos vinhos europeus e desenvolveu uma relação que acabou se transformando em uma nova paixão. Com o tempo, foi apurando o paladar, experimentando diferentes rótulos, conhecendo produtores e estudando diferentes tipos de uvas para entender como as nuances, presentes em cada vinho, diferenciam uma garrafa da outra e uma safra da anterior.

A bagagem internacional levou Galvão a se interessar também pela indústria brasileira de vinhos. Ele entrou em contato com produtores locais e decidiu introduzir essa nova paixão na sua vida empresarial. “Em 2009, fundei a Bueno Wines e encontrei na Bellavista Estate, na região do Seival, na Campanha Gaúcha, o perfeito terroir do paralelo 31, a mesma latitude dos vinhos produzidos na Argentina, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul”, conta o narrador.

Sua primeira realização foi uma escolha pessoal, um vinho tinto, de corte bordalês: o Bueno Paralelo 31, lançado com o espumante Bueno Cuvée Prestige, em 2010. O sucesso foi imediato e, com ele, o incentivo para expandir os horizontes. Galvão criou, então, a Bueno Wines e lançou dois novos rótulos: o Bueno Bellavista Pinot Noir e o Bueno Bellavista Sauvignon Blanc.

VINÍCOLA BELLAVISTA

É na Campanha Gaúcha, em Candiota, no Rio Grande do Sul, que se encontra a concretização dos quase 20 anos da paixão que Galvão Bueno cultiva pelos vinhos. Dessa paixão nasce um sonho e, em 2009, torna-se realidade com a Bellavista Estate, propriedade situada no ponto de encontro do perfeito terroir do Novo Mundo, uma região estratégica apelidada por Galvão como “a Califórnia Brasileira”.

Já são 17 vinícolas nesse novo terroir, em uma faixa de 200 km que corre paralela à fronteira com o Uruguai. É nessa extensão que a Campanha Gaúcha se enquadra como uma das melhores produtoras de vinhos do Hemisfério Sul. Resultado de muito trabalho e dedicação, a produção da Bellavista Estate, hoje sob a supervisão do renomado winemaker italiano Roberto Cipresso, é considerada uma das melhores do Brasil.

TOSCANA, ROBERTO CIPRESSO E A TENUTA LA VALLETTA DI SANT’ANTIMO

A região da Toscana, na Itália, chama a atenção por suas belas paisagens e variada gastronomia. A província de Siena, e mais especificamente a comuna de Montalcino, é referência mundial na produção do maravilhoso Brunello di Montalcino. Nesse cenário, em 2012, da união entre Galvão Bueno e Roberto Cipresso, nasce o primeiro resultado: o Bueno La Valletta. O sucesso dessa parceria culminou na elaboração de mais um vinho, produzido na Tenuta La Valletta di Sant’Antimo, no coração da Toscana, com o perfeito terroir da terra do sol e do romance, cheio de histórias e prazer. Cipresso foi eleito o “Melhor Enólogo Italiano”, durante o “Wine Oscar 2006”, e o “Homem do Ano”, pela revista Men’s Health, em 2008. Além disso, o italiano produziu o Cuvée feito especialmente para o Papa João Paulo II, em 2000.

A parceria deu tão certo que os dois lançaram o Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino, um vinho elegante e complexo, que tem uma composição afinada com o terroir preciso da região da Toscana. Produzidos apenas em anos em que a colheita é considerada uma safra excepcional, esta é uma obra-prima harmônica, vinificada e assinada com maestria.

BUENO WINES

Criada por Galvão Bueno, a Bueno Wines hoje produz sete rótulos: tinto Bueno Paralelo 31, espumante Bueno Cuvée Prestige Brut, Bellavista Estate Pinot Noir (premiado com Medalha de Ouro no Concurso Mundial Bruxelas-Brasil 2014), Bellavista Estate Sauvignon Blanc e o novo Bueno Bellavista Desirée Brut Rosé. E os italianos, produzidos na região da Toscana, frutos de uma parceria com o winemaker italiano Roberto Cipresso, Bueno La Valletta, Sangiovese eBueno-Cipresso Brunello di Montalcino (o Bueno-Cipresso Brunello Di Montalcino Riserva 2004 foi eleito como Melhor Tinto de 2014, com 95 pontos, na lista dos TOP 100 da revista Adega). Galvão idealizou e participou ativamente da criação dos vinhos.

Gostou? Deixe um comentário: