VINHOS | Abadia de Novacella, no Alto Adige, produzindo vinho desde 1142

6-1

A origem desta famosa vinícola italiana é obra de uma ordem religiosa católica, os Canônicos Regulares Agostinianos. Estamos no período do Papa Urbano II (1088 – 1099) quando, em documento oficial, encontra-se referencia direta a “Regula Sancti Augustini” (Regola de Santo Agostinho). A Abadia surge em 1142 quando o beato Artmanno, bispo de Bressanone, decidiu erguer, na localidade de Novacella, um mosteiro.

3-4

Desde sua fundação a Abadia ofereceu hospitalidade aos peregrinos que estavam em viagem para Roma ou para Terra Santa. Graças à escola do convento e ao profundo interesse pela ciência e pelas artes, a Abadia de Novacella se tornou em pouco tempo, um centro espiritual e cultural famoso em toda Europa. A testemunha desse fato, ainda hoje, existe uma rica biblioteca e varias atividades de formação se desenvolvem em seu Centro de Convenções. A Abadia é considerada um dos conventos mais majestosos e melhor conservados da região do Tirol, no Alto Adige, extremo Nordeste da Itália, divisa com a Áustria.

1-7

Toda atividade aqui desenvolvida, além de oferecer momentos de espiritualidade e religiosidade, tem por objetivo a produção de alimentos de elevada qualidade que permitem aos monges do mosteiro alcançar a independência econômica. Um dos produtos mais competitivos é o vinho, uma verdadeira excelência em nível mundial!

7-1

Nas caves da Abadia podem ser degustados os excelentes vinhos acompanhados do famoso speck, especialidade local a base de carne suína crua maturada e defumada, alem de salsichas e linguiças defumadas, queijos e pães típicos desta região alpina.

As caves estão abertas para visitação todos os dias, excluindo os domingos e os feriados religiosos, dias estes inteiramente dedicados à meditação e a oração.

5-3

Os vinhos

A Abadia de Novacella está situada na região vinícola mais ao norte da Itália, o Alto Adige. A altitude fica entre os 600 e os 900 metros sobre o nível do mar, o clima fresco e os solos ricos em minerais, criam o ambiente ideal para o desenvolvimento dos aromas e do sabor sápido típico dos vinhos brancos do Vale Isarco, como o Sylvaner, o Muller Thurgau, o Kerner, o Gewurztraminer e o Veltliner.

4-5

As castas tintas prosperam nos vinhedos de propriedade da Abadia que estão localizados mais ao sul da região do Alto Adige; no caso o Lagrein, na propriedade Bolzanino de Mariaheim, e o Kalterersee, o Pinot Noir e o Moscato Rosa, estes vinificados e afinados na propriedade Marklhof em Cornaiano/Appiano.

A experiência secular – o primeiro vinho aqui produzido é da safra 1142 – auxiliada pela moderna tecnologias enológica  e aliada à grande paixão dos profissionais envolvidos, transmite aos vinhos da Abadia a personalidade e a jovialidade que fazem desta vinícola uma das mais premiadas em nível europeu.

rabachinoRoberto Rabachino Dr. PhD. em Ciências da Alimentação e professor universitário em diversas universidades do mundo. Presidente da IWTO com sede em Nova York e da FISAR con sede em PISA. Presidente dos jornalistas italianos do setor agroalimentar (ASA) com sede em Milão. Diretor responsável da revista "Il Sommelier". Em 2016, recebeu pelo Associação Brasileira de Enologia o Troféu Vitis, o mais importante prêmio relacionado ao vinho no Brasil, durante 24ª Avaliação Nacional de Vinhos de Bento Gonçalves. Escreve sobre vinhos.

Gostou? Deixe um comentário: