VINHOS | Barbaresco: um Nebbiolo de nobre origem italiana

Barbaresco, Langhe, Italy --- Image by © Ocean/Corbis

O barbaresco é produzido por pequenos proprietários, cooperativas de grande prestigio e por produtores de excelência mundial.

As origens deste aristocrático vinho se confundem com antigas e variadas lendas: uns contam que os Gauleses teriam chegado à Itália atraídos pelo vinho Barbaritium, de excelente qualidade, enquanto outros sustentam que o Barbaresco deve seu nome aos povos bárbaros que causaram a queda do Império Romano. Em tempos antigos, o local onde surge o povoado de Barbaresco, era coberto por uma selva tão impenetrável que permitiu aos antigos Lígures, ali se esconder do encalço da cavalaria romana. Justamente por se tratar de uma mata muito fechada, nos limites de seu vasto território, os Romanos a chamaram de “Barbarica Silva”: desta expressão latina advém o antigo topônimo Barbaritum, que com o passar do tempo evoluiu até o atual Barbaresco.

2-6

O Barbaresco nasce em terra de Langa termo que, segundo alguns estudiosos, teria sua origem na palavra do francês antigo “Langues”, que nada mais são que línguas de terra que se desenrolam num vivaz jogo de perfis e mutáveis semblantes, modulados pela sucessão das estações. Do ponto de vista geológico, as Langas tem sua origem na Era Terciaria e Cenozoica, que começou há cerca de 70 milhões de anos. Estas terras de cor cinza – azulado, não são muito resistentes e deram origem a morros de terra branca bastante baixos e de forma arredondada, muito propícios ao cultivo da videira.

4-6

O Barbaresco é tinto de grande prestigio, sua qualidade é reconhecida e sancionada pela lei italiana que, em 1966 reconheceu-lhe o status de vinho a Denominação de Origem Controlada, DOC e, em 1980, de DOCG. Nasce na província de Cuneo, nos povoados de Barbaresco, Treiso e Neive e na localidade São Rocco Seno d’Elvio, município de Alba, em cujos vinhedos de encosta com exposição solar privilegiada cultiva-se a casta Nebbiolo. Nesta área o disciplinar de produção conta com uma superfície cultivada de 682,26 hectares, dos quais a cada safra são produzidas mediamente 4.455.000 garrafas de Barbaresco.

map-2

Pela lei só pode ser produzido com a casta Nebbiolo, se apresenta com uma cor intensa e brilhante que vai gradativamente evoluindo de um vermelho rubi até o grená, bouquet intrigante, com perfumes levemente frutados, lembrando framboesa e compota de frutas vermelhas, gerânio e viola fazem parte da riqueza aromática deste vinho, bem como as especiarias, pimenta verde, canela e noz moscada, feno, madeira, avelãs tostadas, baunilha e até anis completam o impressionante bouquet deste nobre tinto.

7-2

Antes do vinho ser comercializado é obrigatório o estagio de pelo menos dois anos de envelhecimento, sendo um ano em casco de carvalho; após quatro anos poderá ostentar a menção “Riserva”. Alcança sua plenitude entre os cinco e dez anos de idade, mas pode ser muito mais longevo. No mercado podemos encontrar vinhos de estilo tradicional e outros interpretados com um toque internacional, afinados em barrique de 225 litros, em contraposição ao clássico afinamento em barril grande de até 5.000 litros, caro aos tradicionalistas. O barbaresco é produzido por pequenos proprietários, cooperativas de grande prestigio e por produtores de excelência mundial.

6-2

Para uma ideal harmonização com a comida, é considerado como um dos melhores vinhos italianos para acompanhar assados, caça, aves nobres, brasato e queijos maturados ou levemente picantes. O Barbaresco harmoniza muito bem com as famosas trufas brancas de Alba e com pratos a base de funghi porcini, melhor ainda se colhidos nas suaves colinas do Piemonte.

rabachinoRoberto Rabachino Dr. PhD. em Ciências da Alimentação e professor universitário em diversas universidades do mundo. Presidente da IWTO com sede em Nova York e da FISAR con sede em PISA. Presidente dos jornalistas italianos do setor agroalimentar (ASA) com sede em Milão. Diretor responsável da revista "Il Sommelier". Em 2016, recebeu pelo Associação Brasileira de Enologia o Troféu Vitis, o mais importante prêmio relacionado ao vinho no Brasil, durante 24ª Avaliação Nacional de Vinhos de Bento Gonçalves. Escreve sobre vinhos.

Gostou? Deixe um comentário: