TASTING| Pinot Noir para todas as horas

É difícil fazer vinhos Pinot Noir fora da Bourgogne. A caprichosa casta francesa é delicada e sensível ao calor e à umidade. Mas hoje há bons PN do Oregon (EUA) e da Alemanha. Chile e Argentina ainda fazem PN pesados, alcóolicos e barricados, com pouca ou nenhuma tipicidade. Arrisco a dizer que o Planalto Catarinense, os Campos de Cima da Serra e a Serra Gaúcha são terroirs promissores para a feminina Pinot Noir, fora da Bourgogne. Este Dal Pizzol Pinot Noir 2013 – sem passagem por madeira – tem cor rubi claro com reflexos violáceos, nariz frutado com notas de morango e mirtilo, e vibrante acidez em boca. Refrescado, acompanha queijos leves e até carnes brancas. Vinho fresco e saboroso para qualquer hora do dia. À venda no site da vinícola.

Gostou? Deixe um comentário: