TASTING | Raridades gaúchas

Guardo com muito carinho em minha adega algumas raridades que ajudam a contar um pouco da longa história do vinho gaúcho. Essas duas preciosidades, retiradas da adega do Sr. Arnaldo Passarin, me foram presenteadas pelos amigos da Apromontes, a entidade que congrega as vinícolas da região dos Altos Montes (Flores da Cunha e Nova Pádua), uma das quatro regiões vitivinícolas brasileiras com Indicação Geográfica reconhecida pelo INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) – no caso, uma Indicação de Procedência (IP). Na década de 1960, o vinho rosé estava na moda aqui no Estado (como hoje), e os brancos não raramente vendiam mais do que os tintos.

Gostou? Deixe um comentário: