VINHOS | Screw Cap: praticidade na hora de abrir um vinho

Já ouviu falar na screw cap ou tampa de rosca? Tem muita gente que ainda pensa que ela é sinônimo de vinhos baratos e de pouca qualidade. Mas não é bem assim: grandes vinícolas da Europa já estão fazendo testes com a tampa de rosca, inclusive em vinhos de guarda (aqueles que ficam guardados para envelhecer).

Leia também:
VINHOS | Rolha natural ou screw cap?

O novo mundo (países onde a produção de vinhos teve início recentemente, a maioria depois da década de 70: Estados Unidos, Chile, Argentina, Uruguai, Brasil, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, China, Índia, México e Canadá) já se rendeu a ela e muitos “vinhaços” começaram a ser produzidos com a screw cap. A tampa de rosca lacra completamente a garrafa, não permitindo o ingresso de oxigênio, o que ajuda a conservar o vinho sem alterações por longos períodos.

O gerente regional da Porto a Porto Importadora, Rodrigo Albernaz, nos apresentou um belo Shiraz da Austrália engarrafado com tampa de rosca. Ele nos mostra como é possível fazer bons rótulos sem o uso da cortiça e ainda facilitar a vida do consumidor, que pode abrir a garrafa em qualquer lugar, sem precisar de um saca-rolhas! Não é super legal?! 🙂

Nossa #dicadevinho de hoje é este vinho australiano:

Jacob's Creek Shiraz (preço médio: R$)

Jacob’s Creek Shiraz (preço médio: R$ 65)

Jacob’s Creek
Ícone da indústria australiana, a vinícola Jacob’s Creek produz rótulos de personalidade e elegância. Se hoje o Vale Barrosa, no sul da Austrália, é conhecido pelos excelentes vinhos que produz, muito se deve ao imigrante alemão Johann Gramp, natural da Bavária, que ficou impressionado com a potencialidade daquelas terras para a viticultura e, em 1847, plantou seu primeiro vinhedo na região com a intenção de produzir vinhos que mostrassem o verdadeiro caráter da terra.

Gostou? Deixe um comentário: